sábado, julho 20, 2024
spot_img
More

    últimos posts

    Daniel Alves condenado na Espanha após incidente grave

    Tribunal de Barcelona sentencia Daniel Alves a 4 anos e meio por violência sexual

    O ex-atleta Daniel Alves recebeu uma condenação de 4 anos e 6 meses por um caso de violência sexual ocorrido em uma boate de Barcelona. A vítima, alegou que foi forçada a um ato não consensual no banheiro do estabelecimento.

    A defesa do ex-jogador anunciou que recorrerá da decisão, buscando reverter a sentença no prazo legal de 10 dias. O processo judicial ganhou notoriedade devido à gravidade das acusações e ao perfil do acusado.

    Confira: Lágrimas de Daniel Alves marcam o terceiro dia de audiência

    O tribunal aplicou uma circunstância atenuante, considerando o depósito prévio de 150 mil euros pela defesa de Alves, visando reparar o dano à vítima. Este ato influenciou na redução da pena, desconsiderando argumentos de embriaguez.

    Curiosamente, a quantia para a reparação veio da família do também jogador Neymar, revelando uma rede de apoio ao acusado. Daniel Alves, detido desde janeiro de 2023, enfrenta restrições severas, inclusive sobre seus bens.

    A legislação espanhola prevê a possibilidade de redução de pena por bom comportamento ou trabalho na prisão, o que pode antecipar a liberdade condicional de Daniel Alves para maio de 2025, caso não obtenha sucesso nos recursos.

    Além da pena de prisão, Daniel Alves terá de cumprir cinco anos de liberdade vigiada, mantendo distância da vítima e pagando a indenização estipulada. O caso destaca a severidade das leis espanholas contra violência sexual.

    O julgamento durou três dias, com depoimentos de testemunhas, peritos e do próprio acusado, que negou as acusações, alegando consentimento. A sentença trouxe alívio para a acusação, embora a defesa prometa recorrer.

    O caso suscitou debates sobre violência sexual, consentimento e a influência da fama nos processos judiciais. Enquanto Daniel Alves se prepara para a apelação, o público aguarda o desfecho de um dos julgamentos mais acompanhados do ano.

    As versões de Daniel Alves sobre a noite em questão variaram, complicando sua defesa. A última alegação foi de embriaguez, contradizendo declarações anteriores sobre a natureza de seu encontro com a vítima.

    A decisão do tribunal reflete a complexidade dos casos de violência sexual e o desafio de estabelecer a verdade em situações onde o consentimento é disputado. A sentença também destaca o papel das atenuantes na definição das penas.

    spot_img
    spot_img

    últimos posts

    spot_imgspot_img

    Veja mais