quinta-feira, julho 18, 2024
spot_img
More

    últimos posts

    Kurt Hamrin, 89, último da Copa 1958, morre

    Muitas homenagens foram prestadas a Kurt Hamrin

    O renomado atacante sueco permanece como o maior goleador na história da Fiorentina. A triste notícia do falecimento de Kurt Hamrin aos 89 anos, o último sobrevivente da histórica final da Copa do Mundo de 1958, ecoa em corações de fãs ao redor do globo, deixando um profundo vazio.

    O talentoso jogador, figura destacada na Fiorentina e na seleção sueca, que detinha o título de último remanescente da memorável final de 1958, nos deixou. O anúncio do passamento de Kurt Hamrin foi feito pela federação sueca de futebol no último domingo.

    Confira: A chegada discreta do bebê de Rebeca e Pato</ a>

    O meio-campista sueco Hamrin, carinhosamente apelidado de Kurre, deixou uma marca indelével ao marcar 17 gols em 32 partidas pela seleção de seu país. Seu papel crucial na emocionante final da Copa do Mundo de 1958 em solo sueco, onde a Suécia enfrentou o Brasil em uma partida eletrizante encerrada em 5 a 2, contribuiu para sua lenda.

    O luto na Fiorentina é compartilhado por todos, incluindo a família e a vasta comunidade do futebol, pela partida de Kurt Hamrin. Sua notável carreira não se resumiu apenas aos recordes, gols, passes e trabalho incansável no lado direito; ‘Kurre’ era um ícone leal e popular, deixando uma marca duradoura em cada clube que representava.

    Ao ingressar na Fiorentina em 1958, Hamrin conquistou a Taça dos Vencedores das Taças em 1961 e ergueu duas Taças de Itália antes de se transferir para o AC Milan em 1967.

    Durante suas duas temporadas no Milan, Hamrin alcançou ainda mais sucesso do que na Fiorentina, formando uma parceria notável com Gianni Rivera em uma das melhores equipes rossoneri da história. Ele foi fundamental na conquista do título da Série A e de outra Copa das Copas em 1968, em sua temporada de estreia no San Siro.

    Na temporada seguinte, desempenhou um papel crucial na segunda conquista da Copa da Europa pelo Milan, marcando na vitória por 2 a 1 na soma das semifinais sobre o campeão Manchester United, antes de o Ajax de Johan Cruyff ser derrotado por 4 a 1 na final.

    No verão seguinte, Hamrin partiu para o Napoli, onde jogou por mais duas temporadas, antes de retornar à Suécia para encerrar sua ilustre carreira no IFK Estocolmo. Posteriormente, voltou a Florença com a família, onde faleceu na cidade toscana que se tornou seu segundo lar.

    spot_img
    spot_img

    últimos posts

    spot_imgspot_img

    Veja mais