terça-feira, julho 23, 2024
spot_img
More

    últimos posts

    Conflito em Gaza já conta com 152 soldados Israelenses mortos

    O conflito intensifica-se enquanto reféns aguardam libertação

    A situação no conflito entre Israel e o Hamas é complexa e sensível. As informações disponíveis indicam que desde o início dos ataques em 7 de outubro, houve baixas de ambos os lados. O Hamas relatou a perda de contato com um grupo que mantinha reféns israelitas, sugerindo que eles podem ter sido vítimas de um bombardeio.

    Em Telavive, manifestações de apoio aos reféns ainda detidos em Gaza ocorreram, com apelos ao governo israelita para trazê-los de volta. Muitos desses apelos expressaram descontentamento com o governo, pedindo um cessar-fogo imediato como a única maneira de garantir o retorno seguro dos israelitas.

    Confira: Por que Bolsonaro se tornou inelegível? Entenda o caso

    Uma mãe, Sigalit Hilel, que perdeu um ente querido nos ataques de 7 de outubro, destacou a angústia única enfrentada pelas mães que, em meio ao conflito, discutem a terrível escolha entre o rapto e a morte de seus filhos.

    As forças israelitas afirmam avanços significativos no controle do norte de Gaza e divulgaram um vídeo que supostamente mostra um ataque aéreo contra um veículo que transportava um alto funcionário do Hamas, Hassan Atresh, alegadamente envolvido no comércio, produção e equipamento do braço militar do movimento.

    Saiba mais sobre o Hamas

    O Hamas, um movimento militante islâmico e um dos principais partidos políticos nos territórios palestinos, governa mais de dois milhões de palestinos na Faixa de Gaza. Conhecido principalmente por sua resistência armada a Israel, o grupo lançou um ataque surpresa massivo ao sul de Israel em outubro de 2023, resultando na morte de mais de 1.400 pessoas e fazendo dezenas de outras reféns. Em resposta, Israel declarou guerra ao Hamas, indicando que está planejando uma longa campanha para eliminá-lo completamente.

    Vários países designaram o Hamas como organização terrorista, com algumas nações aplicando esse rótulo especificamente à sua ala militar. O Irã fornece apoio material e financeiro, enquanto a Turquia supostamente acolhe alguns de seus principais líderes. Seu partido rival, o Fatah, que domina a Organização para a Libertação da Palestina (OLP) e governa na Cisjordânia, formalmente renunciou à violência, embora nem sempre tenha mantido esse compromisso em tempos de elevadas tensões israelo-palestinas. A divisão na liderança palestina e a hostilidade persistente do Hamas em relação a Israel têm prejudicado as perspectivas de estabilidade em Gaza.

    spot_img
    spot_img

    últimos posts

    spot_imgspot_img

    Veja mais