quarta-feira, julho 17, 2024
spot_img
More

    últimos posts

    10 mulheres que deixaram sua marca na tecnologia e ciência

    De pioneiras a líderes: Veja como essas mulheres transformaram ciência e tecnologia

    O Dia Internacional da Mulher (8 de março) é uma data que celebra as conquistas femininas e a luta constante por igualdade de direitos. Estabelecido pela ONU em 1975, destaca tanto o progresso quanto os desafios persistentes. No entanto, um estudo da ONU Mulheres em janeiro de 2024 revelou um preocupante declínio no apoio ao empoderamento feminino e ao feminismo, enfatizando a prevalência contínua da misoginia e do sexismo na sociedade brasileira.

    Em 2023, em meio à onda de demissões em grandes empresas de tecnologia, quase 70% dos afetados pelos cortes de empregos no Brasil eram mulheres, conforme relatado pela Layoffs Brasil. “Nunca se esqueça que uma crise política, econômica ou religiosa é tudo o que é necessário para que os direitos das mulheres sejam colocados em xeque”, comentou Simone de Beauvoir, filósofa renomada por suas teorias sociais sobre gênero, em um de seus escritos.

    Confira: Conheça as 16 mulheres de sucesso escolhidas pela Forbes em 2024

    A luta por uma maior representação feminina nas áreas de STEM – que englobam ciência, tecnologia, engenharia e matemática – começou com pioneiras que enfrentaram barreiras significativas e desafios assustadores para acessar espaços que historicamente foram negados ao seu gênero. Isso é especialmente crucial dado que apenas 35% dos estudantes brasileiros estão matriculados em disciplinas STEM.

    Ada Lovelace

    Ada Lovelace

    Uma brilhante matemática do século XIX, detém o título de primeira programadora de computadores do mundo. Em parceria com Charles Babbage, ela trabalhou na máquina analítica, criando algoritmos para calcular sequências de números de Bernoulli. Sua visão de futuro sobre computação permitiu que ela antecipasse vários conceitos-chave da tecnologia atual.

    Bertha Lutz

    Bertha Lutz

    Uma bióloga brasileira e defensora dos direitos das mulheres. Ela obteve seu diploma em Ciências Naturais pela Universidade Sorbonne em Paris. Sua jornada na luta pelo empoderamento feminino começou quando foi impedida de concorrer a uma posição no Museu Nacional devido ao seu gênero. Inabalável, Lutz fundou a Federação Brasileira pelo Progresso Feminino, que desempenhou um papel crucial na formulação de leis para os direitos das mulheres, incluindo a conquista do sufrágio feminino no Brasil.

    Hedy Lamarr

    Hedy Lamarr

    Conhecida por sua atuação, também fez contribuições significativas para a tecnologia. Junto com o compositor George Antheil, ela co-criou e patenteou um sistema de comunicação de espectro de salto de frequência durante a Segunda Guerra Mundial. Esse modelo inovador, que transmitia mensagens “ocultas” por ondas de rádio, pavimentou o caminho para o desenvolvimento das tecnologias Wi-Fi e Bluetooth.

    Rosalind Franklin

    Rosalind Franklin

    Uma química e bióloga britânica, contribuiu significativamente para a compreensão da estrutura do DNA. Sua pesquisa em difração de raio-X foi instrumental na descoberta da estrutura de dupla hélice do DNA por James Watson e Francis Crick. No entanto, ela não recebeu o devido crédito por seu trabalho.

    Grace Hopper

    Grace Hopper

    Uma cientista da computação pioneira que revolucionou a programação de computadores. Ela é creditada com a criação da primeira linguagem de programação de alto nível, COBOL, e introduziu o conceito de depuração de software. O legado de Hopper vai além de suas conquistas técnicas; ela também serviu como mentora e líder no campo da tecnologia.

    Mae Jemison

    Mae Jemison

    Uma astronauta e médica americana, fez história como a primeira mulher negra a viajar para o espaço. Sua jornada inovadora ocorreu a bordo do ônibus espacial Endeavour durante a missão STS-47 em 1992. Além de suas realizações na NASA, Jemison é uma defensora apaixonada pela educação científica, especialmente para os jovens.

    Ursula Burns

    Ursula Burns

    Fez história como a primeira mulher negra a liderar uma empresa listada na S&P 500. Como presidente e CEO da Xerox Corporation de 2010 a 2016, ela transformou com sucesso a tradicional empresa de cópias em papel em uma empresa de tecnologia próspera e lucrativa. Sob sua liderança, a receita da Xerox atingiu um recorde de US$ 18 bilhões em 2015. Burns também é fundadora do Change the Equation, uma organização sem fins lucrativos dedicada ao avanço da educação STEM.

    Virginia Rometty

    Virginia Rometty

    A primeira mulher a ocupar o cargo de CEO de uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, a IBM, liderou a transição da companhia para áreas como computação em nuvem, inteligência artificial e análise de dados.

    Sheryl Sandberg

    Sheryl Sandberg

    Em 2008, Sheryl Sandberg assumiu o papel de Diretora de Operações no Facebook, marcando um momento decisivo em sua carreira. Após se afastar da gestão de Big Tech em 2022 para se concentrar na filantropia, ela permaneceu como conselheira de Mark Zuckerberg até janeiro de 2024. Defensora apaixonada das mulheres nos negócios, Sandberg é autora do influente livro “Lean In: Mulheres, Trabalho e a Vontade de Liderar”, publicado em 2013.

    Dra. Jaqueline Goes

    Dra. Jaqueline Goes

    A cientista biomédica Dra. Jaqueline Goes ganhou destaque por liderar a equipe de cientistas do Instituto de Medicina Tropical (IMT) da Universidade de São Paulo (USP) que sequenciou com sucesso o genoma do SARS-CoV-2 em um tempo recorde de 24 horas após a confirmação do primeiro caso da doença no Brasil. Com sua conquista notável, a Dra. Goes visa inspirar e empoderar meninas e mulheres a seguir carreiras na ciência.

    spot_img
    spot_img

    últimos posts

    spot_imgspot_img

    Veja mais